MÚSICA

 





 

AWARD




 

DATA

 




 

MURAL


NÃO SAIA SEM COMENTAR!


 

HISTÓRICO





01/10/2012 a 31/10/2012
01/09/2012 a 30/09/2012
01/08/2012 a 31/08/2012
01/07/2012 a 31/07/2012
01/06/2012 a 30/06/2012
01/05/2012 a 31/05/2012
01/04/2012 a 30/04/2012
01/03/2012 a 31/03/2012
01/02/2012 a 29/02/2012
01/01/2012 a 31/01/2012
01/12/2011 a 31/12/2011
01/11/2011 a 30/11/2011
01/10/2011 a 31/10/2011
01/09/2011 a 30/09/2011
01/08/2011 a 31/08/2011
01/07/2011 a 31/07/2011
01/06/2011 a 30/06/2011



AMIGOS

 





Alegria de Viver
Alma do Poeta
A Lua e Eu
A Magia dos sonhos
Amizade e Flores
Andréa
Anjo Sedutor
Art By Cinthia Duin
Beijo Secreto
Belas coisas
Blog da Angélica
Blog da Eimy
Blog da Monique
Blog da Nayr
Blog da Rosária
Blue Sapphire
Cacau
Cantinho da Nadja
Casal de Lobos
Celi
Click da Fadas
Conceição
Conta Gotas
Contos da Rosa
Corações & Segredos
Curta - Helô
Doce Segredo
Dulcinéa
Esconderijo da Bandys
Fantasia - Soraia
Fenix 27
Fonte de Amor
Fragmentos da Alma
Inconfidências
Instantes Pequenos
Lindalva
Livro dos Dias
Maga do Tempo
Maria Selma
Mariz
Menina Virtude
Meu Recantinho
Nalu Farias
Norminha
Pensamentos -Teresa
Petalas de Rosa
Rafaela
Silwia
Vanderlei
Vandinha
Yvonne



VOTE




Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog

CRÉDITOS

 


CONTADOR


 


 



PERFIL


 

Um pouco sobre o autor.

Mario Neves

Nasceu na cidade de Regente Feijó, região oeste de SP, no dia 25/06.
Sua formação é o básico, fugiu um dia dos bancos escolares por causa da matemática.
O desamor pelos números foi plenamente compensado pelo seu grande amor pelas letras,
com as quais hoje vive abraçado.
É um escritor-cronista.
Sua preferência é escrever textos em prosa, mas compõe poesias também.
Um ser romântico como todo nativo de câncer e completamente desbragado quando fala de amor.

AMOR...DESBRAGADO AMOR...

Meu amor já foi puro, casto,
já foi amor de uma só mulher.
Mas embebedou-se em ilusões,
drogou-se em falsas promessas,
sofreu tantas ingratidões,
foi ferido, maltratado,
que mudou o seu espírito.

Então o meu...sereno amor...
tornou-se desbragado, afoito,
de tanto apanhar e sofrer.

Agora acusam o meu amor
de ser cafajeste e canalha.

Sei que ele já não é o mesmo,
pode até ser indecoroso, impudico,
desenfreado, libertino, dissoluto,
mas mesmo assim ainda é amor...

Amor pode mudar a sua forma,
mas não perde a sua essência.

Sei que um dia vou ser amado
tão intensamente por alguém,
com tanta pureza e a tal ponto
de me ver curado deste meu...
"Amor...Desbragado amor"...


MARIO NEVES



 

MEUS PRESENTES


Pétalas de Rosas





Image Hosting


Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting





Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting






 

MEUS PRÊMIOS






Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting

Image Hosting

Parabéns pelo lindo Blog!




 

PRESENTE P/ VOCÊ




PRÊMIO



VISITARAM



 



 

  

 

 

 

 

 

COISAS DO AMOR...

 

  

Manipular um instrumento cortante

ou mesmo se utilizar do fogo,

são trabalhos perigosos.

Um estilete mal utilizado

pode nos ferir com gravidade,

se não tomarmos cuidado

a chama pode nos queimar.

 

Mas, um corte na mão,

por mais profundo que seja

tem jeito e tem cura.

Cicatriza-se com facilidade,

uma plástica e não fica nem sinal...

Porém o fogo, se for da paixão

fere com maior gravidade,

queima além da pele e da alma.

 

Eu fui ferido pelas duas opções,

ferido no centro da mão

e bem no meio do coração...

O que a lamina provocou em mim

já esqueci, nem sinal ficou...

Todavia, as queimaduras da paixão

ardem como se acontecessem agora.

 

 

 

 

 

  

  

 

 

MIDI:Moonlight serenade

 

 

 

com Bert Kaempfert

 

 

 

 

 



- Postado por: Mário Neves às 12h09
[ ] [ envie esta mensagem ]




 

  

 

 

 

 

A MÚSICA

 

 

  

Sem nenhum preconceito,

a música soa deliciosamente

extasiando-me de prazer...

 

Tenho vontade

de tirar sons do piano,

de um violino,

ciência que não sei.

 

Sinto o desejo

de dedilhar um violão,

arpejar uma viola,

dom que não desenvolvi.

 

Porém sobra-me a qualidade,

de saber ouvir a boa música,

as árias, as melodias,

os prelúdios, as canções,

as sinfonias, as cantigas.

 

Embriago-me

nos sons de Mozart, de Betoven,

de Elvis, de Lennon,

de Tonico e Tinoco.

 

Emociono-me com a música

e as sinto tais fossem minhas,

tais fossem executadas por mim,

estas maravilhas que ouço.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

MIDI:Laurence of Arabia

 

 

com a orquestra Ferrante e Teicher

 

 

 

 

 



- Postado por: Mário Neves às 09h24
[ ] [ envie esta mensagem ]




 

  

 

 

 

 

A LENDA DO ARCO-ÍRIS

 

 

 

Eu sou uma cor, o marrom,

Um matiz tímido e apagado.

O brilho que há em meu tom

As outras cores me têm dado.

 

Por isso adoro todas as cores,

Trago colorido o meu coração.

As cores são os meus amores,

Elas povoam minha emoção.

 

Quero tanto a cor amarela,

Que ao ouro se assemelha.

Acho a cor laranja é tão bela,

Também o é a cor vermelha.

 

Até mesmo a ausência de cor,

Que por cor preta se entende,

Mesmo a roxa, símbolo da dor,

Por elas a minha alma se rende

 

A cor branca é o meu dia,

A cor azul é o meu infinito.

A cor verde é minha alegria,

O meu romance mais bonito.

 

Mas a cor verde não me ama,

Sua paixão é pelo furta-cor.

Cores amigas vendo meu drama,

Se unem, lutam em meu favor.

 

Essa solidariedade faz nascer,

O arco-íris, o espectro solar.

Seis cores tentando convencer,

A cor verde por mim se apaixonar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

MIDI:Além do horizonte

 

 

 

com Eduardo Lages

 

 

 

 

 



- Postado por: Mário Neves às 09h19
[ ] [ envie esta mensagem ]



Agradeço a

DEUS...


A sensibilidade, olhos d‘alma,
Para colher na vida,
no cotidiano,
Momentos alegres e até tristes,
Mas sobretudo,
momentos de amor.
Agradeço a fé e ao amor...
Por serem a razão,
Principal e definitiva...
No palco de minha existência.
Agradeço a meu coração...
Por ele ter feito de mim,
Este obstinado e emotivo
Construtor de palavras .

Mario Neves